TSE não descarta ser alvo de ataques hackers nas Eleições 2022

Foto: EBC/Divulgação

Alertado por grupo técnico que se dedica à segurança da informação, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) trabalha com a possibilidade de sofrer ataques hackers às vésperas das eleições de outubro. Diante do cenário, a Corte Eleitoral vem implementando medidas para proteger o sistema eleitoral em Brasília e também nos tribunais regionais.

Segundo relatório interno, o TSE não descarta ser alvo de um ataque como o que paralisou o STJ (Superior Tribunal de Justiça) por uma semana em novembro de 2020. A Corte foi alvo de “ransomware”, um sofisticado crime cibernético que sequestra dados e só os devolve mediante pagamento de resgate. Servidores e ministros ficaram impossibilitados de acessar arquivos e e-mails. 

Os técnicos alertaram ainda para a necessidade de debelar riscos de vazamento em massa do cadastro eleitoral, de manipulação do sistema de óbitos e direitos políticos para incluir candidatos inaptos e de acesso a dados restritos para venda ilegal no mercado paralelo.

As medidas que serão utilizadas não foram expostas. O principal objetivo do TSE é manter a credibilidade das urnas, sistema que é considerado um dos mais confiáveis no mundo. Nas eleições de 2020, ataques cibernéticos não afetaram a apuração de votos, mas abriu espaço para a criação de teorias conspiratórias.




  • 0%