92 entidades cobram ‘Big Techs’ e pedem combate a desinformação nas eleições 2022

Foto: Freepick/Divulgação

Um documento direcionado para as Big Techs – as grandes empresas de comunicação – cobra mais ações das plataformas digitais para combater a desinformação sobre as eleições. O documento foi elaborado por 92 organizações civis e de pesquisa acadêmica. 

A cobrança é direcionada para as empresas Meta (Facebook, Instagram e Whatsapp), Alphabet (Google e Youtube), além de Telegram, Linkedln, Tik Tok e Twitter.  

Foto: Freepick/Divulgação

As organizações fazem recomendações sobre moderação de conteúdo, anúncios, e combate à desinformação e violência contra minorias sociais. Ainda segundo o documento, a desinformação pode desencadear atritos, modificar eleições e ir contra o jogo democrático. 

Entre as propostas estão: 

  • Proibir conteúdos com alegação infundada de fraude eleitoral ou ataque à integridade do sistema eleitoral;
  • Proibir o impulsionamento e a recomendação de conteúdos que coloquem em dúvida a integridade do sistema eleitoral;
  • Não dar tratamento diferenciado para atores políticos na moderação de conteúdos enganosos;
  • Criar canais diretos de comunicação com a Justiça Eleitoral e o Ministério Público Eleitoral para o caso de uma crise institucional;
  • Explicitar a velocidade com que agirão ao receber denúncias de desinformação feitas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE);
  • Classificar como conteúdo sensível anúncios sobre pautas que estarão na ordem do dia da eleição, como o Facebook fez nos Estados Unidos em 2020;
  • Moderar e remover rapidamente conteúdos que ameacem mulheres, pessoas negras, indígenas, quilombolas e LGBTQIA+ que estejam se candidatando nas eleições;
  • Proibir a monetização e o impulsionamento de conteúdos com desinformação sobre meio ambiente, clima e povos tradicionais.

Atualmente, todas as plataformas a qual o documento é direcionado  têm uma parceria com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e se comprometeram a identificar as “Fake News” em suas plataformas.




  • 0%